Pix: o novo método de transações financeiras

Tempo de leitura: 3 minutos

Mais uma opção para receber pagamentos vem aí. Estamos falando do Pix, um meio de pagamentos instantâneos que vai permitir transferências e pagamentos em tempo real. 

Anunciado pelo Banco Central em fevereiro deste ano, o Pix vem para facilitar as transações entre pessoas físicas, jurídicas e até mesmo entidades do governo. Receber e enviar dinheiro ficará muito mais fácil e prático, podendo ser realizadas transações a qualquer hora, qualquer dia e para qualquer instituição financeira. 

Para quem tem um negócio, esse novo método via baratear as transferências e pagamentos. Esse será um métodos com custo menor do que o boleto, por exemplo. Está curioso para saber como o Pix irá funcionar? continue a leitura, vamos explicar de forma simples abaixo. 

O que é o Pix? 

Além do que já falamos acima é importante ressaltar que o Pix é uma nova opção de receber e enviar dinheiro. Ele será um alternativa aos tradicionais TED, DOC, Boleto e Cartão.

Vale ressaltar que o Pix não é um aplicativo e nem pertence a alguma instituição financeira específica. Essa é uma solução que será oferecida por praticamente todos os bancos e que estará dentro dos canais do cliente, como internet banking e aplicativo do banco. 

Haverá um período de cadastro para o uso do Pix, que será a partir do dia 5 de outubro. Após isso, um “período de teste” será feito em novembro, funcionando apenas para alguns usuários e com limitação de horários. O dia 16 de novembro está marcado para ser o lançamento oficial e total da função. 

Como funcionará o Pix?

Todas as instituições financeiras com mais de 500 mil clientes deverão oferecer o serviço dentro de seus aplicativos e em canais como internet banking e caixas eletrônicos. Logo fica claro que o Pix não será um app próprio, mas sim integrará os que já existem dos bancos. 

O sistema de pagamentos utilizado pelo Pix é o SPI (sistema de pagamentos instantâneos), gerido pelo Banco Central por meio do Departamento de Operações Bancárias e de Sistema de Pagamentos (Deban).

Ou seja, o Pix também não é uma nova conta que você precisa abrir, pois  está conectado às contas PI das instituições financeiras. Para realizar as transações, basta se conectar a uma conta já existente. Mas para isso é recomendado o registro de chaves.

E o que são as chaves? 

As chaves substituem as informações tradicionais para a realização de transações. Isso significa que em vez de fornecer os dados da conta e o CPF, você só precisará passar a chave registrada. 

A chave poderá ser: 

  • CPF;
  • Email;
  • Número do celular;
  • Chave aleatória. 

Cada pessoa jurídica poderá registrar até 5 chaves por conta da qual seja titular para realizar transações, enquanto cada pessoa jurídica poderá registrar até 20 chaves. O recomendado é registrar todas as chaves em uma só conta, para que haja maior controle do fluxo das suas informações. 

Vale dizer ainda que as chaves não são obrigatórias, todo usuário poderá realizar transações via Pix da mesma forma como faz hoje com TED e DOC, a chave é apenas uma tentativa de tornar o processo menos burocráticos e mais prático. 

Gostou do nosso artigo? Compartilhe com amigos e fique atento às nossas redes sociais, temos sempre um material novo para você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *